Adaptando a Casa Para os Pequenos

Outubro é um mês em que costumamos ficar mais nostálgicos, não é? Todo mundo começa a trocar as fotinhos do Facebook, e de repente, nos vemos imersos em uma galeria de lembranças e revelações do que cada um foi na época das fraldas e brinquedos. Tem coisa mais gostosa do que recordar essa idade maravilhosa, em que tudo é divertido e quase não temos preocupações (além da hora de parar de brincar ou de ter que tomar banho)? Eu sou suspeita para falar, porque adoro pensar na criança que fui!

E foi pensando nela que resolvi o que iria escrever para vocês hoje! Tendo filhos ou não, todos nós sabemos que, com crianças em casa, muita coisa tem que mudar para acompanhar a rotina imprevisível e curiosa delas. Nessa idade, a preocupação de pais e docentes com a segurança dos espaços que seus pequenos frequentam é imprescindível!

Mas, o que se deve levar em conta na hora de receber os babies com tranquilidade? A Casa ajuda a descobrir! Vem! 😉

1.png

O CANTINHO DELES É SÓ DELES!

Nós sempre dizemos que, para um ambiente cumprir sua função da melhor maneira, deve ser pensado nos mínimos detalhes e, especificamente, para quem vai utilizar. No caso das crianças e bebês, ter o espaço deles equipado e devidamente atraente ao pequeno usuário talvez seja o primeiro passo, para evitar acidentes no restante da casa. Pensa com a gente… se a criança tem um lugar próprio, recheado com o que ela gosta e precisa para se expandir nas suas brincadeiras imaginativas, a chance de sair querendo explorar lugares indevidos diminui, não é? Dá só uma olhada nessas ideias de quartos infantis super gracinha que nós encontramos!

9.png10.png

11+13.png

Eu, se pudesse voltar a ser criança outra vez, não iria querer saber de outra coisa, se tivesse um quarto desses. Ficaria quietinha brincando no meu mundinho sem o menor dos problemas… Mas nem sempre é assim que acontece, não é? Para aquelas mais ligadas no 220v, é preciso atenção redobrada, e aí todo cuidado é pouco.

ATENÇÃO ÀS ÁREAS MOLHADAS: BANHEIROS, COZINHA E ÁREA DE SERVIÇO

Pensando nas crianças mais arteiras, as chamadas áreas molhadas são os ambientes com maior “potencial de perigo”. Nos banheiros, por exemplo, nada mais convidativo do que as tampas de vaso ou o box do chuveiro abertos. E nada mais perigoso também, principalmente pelo contato com a água, que junto com o piso normalmente liso desse tipo de ambiente, pode levar a escorregões, tombos e acidentes com “mergulhos” (do vaso, eu não preciso nem comentar, né?).

Por isso, a dica principal é: entrada proibida! Manter as portas sempre fechadas é o ideal, mas para o caso de isso falhar, a dica é se utilizar de travas de segurança que impeçam a abertura da tampa do vaso, além das portas de box sempre fechadas. Evite também deixar qualquer item de limpeza pelo chão, tanto os produtos quanto aquelas escovinhas para higienização da louça sanitária. Ah, e os tapetes? Melhor guardar e deixar para colocar somente na hora de tomar o banho.

2+3.png

A cozinha é um ambiente que as crianças só devem frequentar com (bastante) supervisão. Por isso, dê preferência por guardar os utensílios cortantes e eletrodomésticos de pequeno porte, como torradeiras, mixes e liquidificadores, nos armários mais altos, tirando do alcance dos pequenos. Se for preciso, utilize travas para as portas dos armários baixos também. E quando houver panelas no fogo, uma dica simples, mas que pode evitar acidentes de repercussão bastante complicada: mantenha os cabos das panelas sempre para dentro do fogão.4+6.pngNa área de serviço, aplica-se a mesma lógica: utensílios, como ferros de passar roupa e produtos de limpeza, devem ser mantidos sempre em alturas mais elevadas. Se tiver animais de estimação, procure estar atento para evitar o acesso das crianças ao lugar da comida e das necessidades do bichinho. Afinal, ninguém quer o filho comendo biscoitinho de cachorro ou whiskas sachê

E NAS DEMAIS ÁREAS DA CASA?

8.jpg

Nos ambientes considerados secos, que em geral, constituem o restante da casa (salas, quartos, escritórios, etc), as dicas são as mesmas para todos:

+ Evite móveis com as chamadas quinas vivas (ângulos de 90º) em alturas baixas, e se os tiver, procure utilizar protetores de borracha ou silicone para suavizá-las. As crianças, principalmente as pequenas, se apoiam em tudo o que veem pela frente, e com isso, evitam-se algumas batidas de cabeça ou acidentes mais sérios. Ah, e os móveis com rodízio devem estar sempre travados, ok?

+ Os tapetes, se os tiver, devem estar bem fixos no lugar, para evitar tropeços ou escorregões. Você pode garantir isso utilizando fitas adesivas como a Fixa Forte 3M para proteger as pontas, colando-as diretamente no piso.

+ As tomadas são alguns dos vilões mais conhecidos para o universo infantil, e têm um poder extremamente curioso de atrair os dedinhos para o seu interior carregado de eletricidade. Felizmente, existem tampas protetoras que lacram suas saídas. Recomendamos investir nelas!

+ Ainda pensando na parte elétrica da casa, fios e cabos de eletrônicos e aparelhos de iluminação devem ser preferencialmente retirados do chão ou da circulação, tanto para evitar tropeços, quanto para minimizar possíveis quedas dos objetos ao puxar o fio. Se não houver a possibilidade de embutir com uma pequena obra ou soluções de marcenaria, essa proteção pode ser feita temporariamente com canaletas.

+ Deixe a circulação o mais livre possível! Quanto mais espaço o pequeno tiver para andar, brincar e expandir suas descobertas sem perigo, mais feliz ele será! E com o tempo e o amadurecimento da criança, as coisas aos poucos podem ir voltando para o lugar original e a casa volta a ser menos perigosa, pois eles já saberão discernir por conta próprio o que podem ou não fazer, e onde devem ou não mexer.

14.jpg

E VIVA A INFÂNCIA!

Quando somos pequenos, a casa em que moramos é quase que um grande mundo de gigantes, onde tudo é novidade! E como toda boa criança, o que mais se quer fazer é explorar essa enorme gama de possibilidades que existe à nossa volta… e afinal, não há nada de errado com isso, certo? Explorar faz parte do processo de crescimento e aprendizado de qualquer ser humano. E nesse processo, todo e qualquer cuidado com a parte material das coisas é pouco, se comparado à importância do carinho e do afeto que os pequenos demandam para se sentirem felizes e amparados ao crescer…

Essa talvez seja a nossa maior dica! Sejamos pais, professores, tios ou tias, avôs e avós, irmãos mais velhos, primos, amigos da família, ou o que for… que nós nunca esqueçamos da criança que fomos um dia, porque olhar para ela nos ajuda a pensar com mais amor nas que podemos ajudar a crescer hoje, e que um dia, serão adultos como nós, responsáveis por continuar caminhando com esse mundo nas mãos. 😉

Feliz Dia das Crianças para todos que nos leem hoje, e sempre! Até a próxima! ❤

NOTA: As imagens contidas nesse post foram reproduzidas através do Google e não possuem referências para concessão de direitos autorais. O usuário que identificar propriedade e quiser se manifestar com relação ao conteúdo aqui publicado pode entrar em contato conosco, ok?

 

Um comentário sobre “Adaptando a Casa Para os Pequenos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s